sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Comunicado ante o 100 aniversário das Festas do Monte.

Dende o Centro Social Fuscalho queremos manifestar o seguinte com respeito a 100 ediçom das Festas do Monte:

- Denunciamos a quase total ausência da língua galega, a língua própria do país, por parte da organizaçom em diferentes âmbitos como a cartaleria, programaçom, web, etc. Umha ausência na que também tenhem responsabilidade as instituçons públicas colaboradoras co evento (Concello da Guarda, Deputación de Pontevedra e Xunta de Galicia), aquelas que em teoria devem velar pola defensa e promoçom da língua própria do país. No 100 aniversário das nossas festas vemos como o galego encontra-se numha situaçom semelhante aos anos nos que se levou a cabo a primeira ediçom, subordinada ao espanhol ou directamente excluida do uso social.

- Mostramos o nosso desacordo coa programaçom cultural oferecida pola organizaçom, limitada exclusivamente a atuaçom de orquestras (na maior parte dos casos com atuaçons totalmente sexistas) e de grupos de fora da Galiza, sendo a nossa cultura totalmente excluída. O património cultural existente na Galiza é imenso, o que permite oferecer umha oferta cultural variada e para todos os públicos. E nom só no conjunto do país, se nom na própria vila: ao mesmo tempo que vemos como se gastam enormes quantidades de dinheiro em orquestras e grupos foráneos os artistas da vila som, na sua grade medida, excluídos da programaçom (que melhor forma que celebrar um 100 aniversário que coa nossa gente?). Se de verdade pretendemos que as festas sejam nossas, do povo da Guarda, deveríamos oferecer umha programaçom com a que tod@s @s guardeses/as se sintam representad@s, umha programaçom para todos os públicos.

- Rejeitamos a grande quantidade de dinheiro que estas festas vam custar, e mais nos tempos que correm. Com muitas famílias de guardeses/as sem trabalho e com problemas para subsistir, miramos como se gasta umha ingente quantidade de dinheiro em actos festivos.

- Rejeitamos a eleiçom da ex-alcaldesa da Guarda, por parte do PP, Purificación Álvarez Álvarez, como pregoeira do 100 aniversário. As festas populares deveriam de ser alheas a qualquer adscriçom política, e menos numha data tam simbólica como o 100 aniversário, mas parece que esta comissom está empenhada em tinguir as nossas festas do azul do Partido Popular, e mais conhecendo o passado político do pregoeiro do ano passado, Horácio Gómez. Temos pessoeiros dabondo na Guarda, sem nenhuma adscriçom política, com méritos suficientes para ser reconhecidos com semelhante honra como é dar o pregom das nossas festas em representaçom de toda a vila da Guarda, tanto a nível individual como a nível associativo.

- Ao mesmo tempo, ainda que nom compartilhemos a posiçom da comissom organizadora com respeito aos pontos anteriores, e sendo conscientes do trabalho que conleva a organizaçom das festas, reconhecemos o esforço levado a cabo polos seus integrantes, assim como agradecemos as facilidades dadas para a realizaçom das nossas próprias actividades.

Sem mais, feliz 100 aniversário das Festas do Monte.